Vencer a concorrência é um desafio tão grande, que nem todos conseguem. A busca por sucesso é tão frenética, que alguns empresários fazem de tudo para estar sempre a frente de seus concorrentes. Incluindo a prática da concorrência desleal, que cresceu exponencialmente com a ajuda da internet.

Várias são as artimanhas usadas para tentar denegrir a imagem dos concorrentes. Sabendo que as maiores plataformas sociais permitem a avaliação de perfis é muito comum que empresas contratem pessoas ou criem perfis fakes para negativar negócios que oferecem o mesmo produto ou serviço.

Obviamente que tal prática não imprime o mínimo de ética, mas é muito mais comum do que se imagina.

Recentemente um casal de empreendedores do ramo fotográfico da cidade de Ribeirão Preto (nomes preservados) tiveram seus perfis de negócio nas redes sociais perseguidos por um empresário que, por “não ter um bom relacionamento pessoal” com elas se achou no direito de avaliar mal o negócio delas, sem ao menos ser cliente ou tê-las contatado para orçamento alguma vez.

O caso foi o seguinte: o casal não gostou do atendimento oferecido pela empresa e acabou avaliando a página comentando o ocorrido. O empresário, dono do negócio, resolver retribuir e também negativou o negócio do casal, mesmo sem conhecer os seus serviços.

Mas, como dito, isso não é um caso isolado e distante. Isso também aconteceu comigo!

Nos últimos dias a Zênite Marcas, empresa em que sou o advogado responsável e que presta assessoria especializada em registro de marcas, localizada em Botucatu, teve duas avaliações negativas no Google Meu Negócio. Coincidentemente os dois avaliadores, que não deixaram sequer um comentário (apenas deram uma estrela pelo atendimento) são profissionais que atuam no mesmo ramo em outro escritório, também em Botucatu.

Foi então que sentimos na pele a dor de passar por isso. Afinal é muito tempo dedicado à prestar o melhor serviço possível, dando o melhor de nós para entregar algo diferenciado e que satisfaça de verdade os anseios de nossos clientes para, em uma jogada desleal um concorrente cometer algo tão injusto.

Nesse momento, não vou negar, a raiva e vontade de “revidar” é muito grande. Mas é necessário acalmar os ânimos e pensar em uma estratégia para reverter a situação sem a necessidade de prejudicar o concorrente. Afinal, tudo que nós não queremos é concorrer deslealmente, não é?

E como nós tratamos isso

Em primeiro momento buscamos clientes que já haviam passado pela Zênite e pedimos para que eles realizassem a avaliação deles. Como era de se esperar, todas foram positivas.

Isso fez com que nossa nota, que era de apenas 1 estrela com os comentários dos concorrentes (desleais) subisse automaticamente para 4,6 estrelas de um total máximo de 5. Já é uma nota boa. Isso em menos de 2 horas.

Além disso, tendo em vista todos os elementos materiais que tínhamos para comprovar que os negativadores eram concorrentes da Zênite, fizemos a denúncia dos comentários negativos para o Google. Isso, segundo a política de privacidade do buscador, fará com que os comentários sejam excluídos.

O que aproveitamos da situação toda

A primeira coisa boa de tudo isso foi notar que realmente somos diferentes e oferecemos um serviço muito superior. A prova é que, sem condições de competir justamente, fez com que nosso concorrente agisse de forma desleal.

Além disso, como para sanar o problema precisamos solicitar avaliações de nossos clientes, acabamos por ter várias avaliações extremamente positivas na rede social, coisa que não tínhamos por nunca ter ido atrás disso.

Gestão de crise é isso. Não é “cair e levantar”. É “cair e levantar mais forte”.

Já viu a definição do palestrante Murilo Gun sobre antifrágil? Ele diz que não adianta mais ser apenas forte, ser ferido e levantar. É necessário ser antifrágil. Ser aquele que quando é atingido se fortalece ainda mais.

Esse somos nós. Essa é a Zênite Marcas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here